Cadastre seu email e receba as novidades:
  Institucional

Guia de internet em Minas Gerais

Visite São Thomé - O Maior Portal Turístico de São Thomé das Letras - MG
Lendas e Causos
 Lenda de São Thomé



No que diz respeito ao surgimento da cidade, a lenda corrente diz que o escravo João Antão, era muito maltratado por seus patrões e se apaixonou pela filha do patrão, para não sofrer ou se engraçar com a moça e ser morto pelos patrões, fugiu da fazenda Campo Alegre, da família Junqueira, se refugiou em uma gruta. Lá passou algum tempo, se alimentando de frutas, da caça e da pesca, fartos naquela segunda metade do séc. XVIII.

Até que uma experiência incrível acometeu o escravo que ao acordar, notou uma luz muito forte na gruta e um velho muito apessoado e de vestes brancas apareceu diante dele, João Antão que, após ouvir sua história, recebeu uma carta.

O senhor que ao escravo parecia até um jesuíta, pediu ao escravo que levasse o papel até o patrão e assim seria perdoado e ganharia a liberdade. A ordem do velho foi acatada. Ao ler a carta, Junqueira ficou impressionado com a boa caligrafia, redação e qualidade do papel, fatores inusitados naquele tempo. Além de perdoar João Antão, o fazendeiro organizou uma visita à gruta, na esperança de encontrar tal velho. Chegando lá a única coisa que encontrou foi uma imagem em madeira que acreditaram ser do apóstolo São Thomé.

O Capitão Junqueira imediatamente levou a imagem para sua casa, vendo se tratar de um milagre. Porém a imagem sumiu e reapareceu na gruta e assim, inúmeras vezes até que a esposa do mesmo, lhe pedisse que construísse uma capela ao lado da gruta e lá depositasse esta para que pudessem freqüentar as orações devotas ao santo.

Durante a obra de construção da igreja, foram encontradas algumas pinturas que segundo a crença da época, foi a prova cabal da visita do santo ao local. Mais tarde vieram outra versões que envolvem os índios Cataguases, primeiros habitantes da região e também passagens ufológicas. Outros ainda, os geógrafos insistem na tese de que são infiltrações nas pedras que produziram as marcas.

Hoje, a construção que o capitão ergueu é a Igreja Matriz (1785), com a pintura do teto hoje atribuída a José da Natividade, discípulo de Aleijadinho.

Voltar